Recepção Mútua

 

A recepção mútua entre Plutão e Júpiter no mapa do sistematizador do Espiritismo é a marca singular da mediunidade intensamente profunda.

Recepção mútua ocorre quando um astro está no domicílio de outro como no mapa de nascimento de Kardec: Plutão, regente de Escorpião, está em Peixes, que é regido por Júpiter, que está em Escorpião. Além da recepção, ambos os astros encontram-se em trígono, um aspecto fluente que, ocorrendo no elemento Água, potencializa características como a subjetividade e a sensibilidade. Unindo-se à recepção mútua, o trígono, o elemento e os astros, pode-se chegar à conclusão que estamos diante de uma personalidade que presenciava fenômenos do mundo sutil separado do mundo material por apenas uma tênue membrana diáfana. A recepção mútua enfatiza o papel dos respectivos astros. Plutão em Peixes traz à tona tudo o que está escondido nas profundezas do oceano do inconsciente coletivo. Júpiter em Escorpião também revela e expande os domínios da 'sombra' e do oculto.

Plutão em Peixes também está em recepção mútua com Netuno, outro regente de Peixes, também em Escorpião! Afinal de contas, estamos em pleno começo do Romantismo, movimento artístico que privilegiava as emoções em detrimento do racionalismo e do materialismo iluministas. No entanto, este grande escritor conseguiu equilibrar este intenso e profundo contato com o mundo da psique coletiva e das inteligências incorpóreas com o racionalismo que se dividia entre Sol, Urano e Mercúrio em Libra. Em outras palavras, o universo multidimensional que se descortinava diante da visão ilimitada de sua alma era traduzida pela clareza e pela simplicidade de quem difundiu esta religião por todo o mundo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Plutão em Aquário III – Quadratura com Marte

Orientações para o período

Orientações para o período