Reflexões sobre Jung, o astrólogo

 



A alquimia é inconcebível sem a influência de sua irmã mais velha, a astrologia, e as declarações destas três disciplinas [mitologia, alquimia, astrologia] devem ser levadas em consideração em qualquer avaliação psicológica dos luminares [Sol e Lua]...Astrologicamente, esse processo [alquimia] corresponde a uma ascensão pelos planetas, desde o escuro, frio e distante Saturno até o Sol. A ascensão pelas esferas planetárias significava, portanto, algo como um desdobramento das qualidades caracterológicas indicadas pelo horóscopo natal. Qualquer pessoa que tenha passado por todas as esferas está livre da compulsão; ela ganha a coroa da vitória e transforma-se em algo como um deus.” The Collected Works of C. G. Jung.

Esta retificação alquímica a qual Jung refere-se como a “ascensão” de Saturno até o Sol pode também ser traduzida como a transmutação do metal correspondente a Saturno (chumbo) no metal correspondente ao Sol (ouro). Provavelmente, quando ele utilizou o vocábulo “ascensão”, seu subconsciente poderia ainda estar impregnado da reunião que teve com o físico quântico Wolfang Pauli. “Ascensão” no vocabulário quântico pode ser traduzido como “salto”, como ocorre com o elétron de uma órbita para outra, sem intermediários. Portanto, o “desdobramento das qualidades caracterológicas” refere-se aos contínuos saltos evolutivos que realizamos ao longo de nossas existências pontuadas pelos ciclos planetários, transmutando nosso chumbo em ouro.

As três disciplinas são, de fato, fundamentais para a profunda e correta interpretação do mapa astrológico e para o processo de individuação: conhecendo o mito relativo ao signo ou astro, entramos em contato com seu puro arquétipo que nos indica o mais real significado e todas as possibilidades de ascensão. Por sua vez, a magia alquímica é o procedimento terapêutico que conduzirá ao salto ou ascensão. O sábio mestre da psicologia ainda refere-se à “coroa da vitória”, ou seja, um atributo divino da ascensão cabalística, quando se atinge a perfeição.

==================================================

"O regente do meu nascimento, o velho Saturno, retardou meu processo de maturação em tal medida que tomei conhecimento de minhas próprias ideias apenas no início da segunda metade da vida, ou seja, exatamente com 36 anos." Carta a Upton Sinclair, 1955

E foi em 1911, que nosso nobre mestre informou a Freud que estava estudando astrologia, além de começar a discordar com o mesmo, o que culminou na publicação de Psicologia do Inconsciente. 

Jung nasceu com Saturno na primeira casa e no signo de Aquário. É o regente de seu nascimento como afirma, pois Saturno rege seu ascendente, também em Aquário, daí a importância da reserva, da demora nas conclusões e pesquisas devido à seriedade e à responsabilidade que tinha diante das mesmas. O elemento Ar de Aquário está intimamente ligado ao temperamento racional no conhecimento avançado, como as ciências de ponta ou a tecnologia. No entanto, Saturno requer ética, profundidade e, principalmente, responsabilidade na prática ou promoção de qualquer teoria. Em outras palavras, Jung era um cientista e um pesquisador que demorou para "digerir" todo o conhecimento que levou à prática e às respectivas conclusões. Saturno em Aquário exigiu que ele ultrapassasse os limites do conhecimento da psique na época e avançasse para conteúdos muito além daquilo que se considera aceitável como a Astrologia, por exemplo. Para alcançar a liberdade aquariana do entendimento das ciências metafísicas, Saturno em Aquário de Jung também teve que incorporar o titã corajoso o suficiente para recuperar conhecimentos ancestrais e inseri-los em seu trabalho. 

Portanto, sua curiosidade, inteligência avançada e coragem aliadas à maturidade e à busca profunda e séria como livre pensador o tornou um dos grandes gênios em sua área, mas muito mal compreendido até hoje pela ciência materialista tacanha e, até mesmo pelos autodenominados praticantes da psicologia junguiana.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Plutão em Aquário III – Quadratura com Marte

Orientações para o período

Plutão em Aquário Parte II – Breve Estadia em 2023 - História