Hahnemann e a Homeopatia

 

Chinchona officinalis


Da casca da “quinquina” - nome popular desta árvore de baixa estatura originária da América do Sul – extrai-se o quinino que tem propriedades medicinais apropriadas ao tratamento do paludismo ou malária. Esta descoberta é atribuída aos indígenas andinos que a chamavam de “pau de quenturas”, mas seu nome se refere à condessa de Chinchon, esposa do vice-Rei do Peru, que foi curada de uma febre forte graças às propriedades da Chinchona officinalis.


Similitudes e Sincronicidades:


Estamos diante da primeira substância homeopatizada por Hahnemann, ou seja, a descoberta e sistematização da Homeopatia. Percebendo que o uso indiscriminado da casca da chinchona nas recomendações alopáticas estava causando efeitos colaterais severos como a “caquexia quina”, Hahnemann resolveu utilizá-la em si mesmo:


Há tanto tempo atrás quanto o ano de 1790, eu fiz o primeiro ensaio puro com a casca da Chinchona em mim mesmo, em referência ao seu poder de estimular febre intermitente. Com este primeiro ensaio, raiou-me a alvorada que desde então reluziu dentro do mais brilhante dia da arte médica; que é apenas em virtude do poder deles de fazerem o ser humano saudável doente, que os medicamentos podem curar estados mórbidos, e, de fato, consegue ela mesma produzir em similaridade na saúde. Isto é uma verdade tão incontrovertida, tão absolutamente sem exceção, que todo o veneno vertido sobre ela pelos membros da associação médica, enceguecidos por seus preconceitos milenares, é impotente para extingui-la; tão impotentes quanto foram os vitupérios lançados contra a descoberta imortal de Harvey da grande circulação no corpo humano por Riolan e seu bando, para destruir a verdade revelada por Harvey. Estes oponentes de uma verdade inextinguível pelejaram com as mesmas armas mesquinhas como fazem hoje em dia os adversários da doutrina médica homeopática.” (Hahnemann, Matéria Médica Pura)


Observe o tom desafiador e corajoso deste pioneiro que teve a ousadia de se contrapor à Medicina vigente. Samuel Hahnemann nasceu nas proximidades da lunação no signo de Áries (10/4/1755), ou seja, Sol e Lua em Áries, além de Mercúrio no mesmo signo. Seu potencial como médico pioneiro, corajoso e lutador se revelou em uma das maiores descobertas para a saúde da Humanidade – a Homeopatia. O signo de Áries, do elemento Fogo e modalidade Cardinal, é considerado o primeiro do zodíaco e irrompe a partir de uma das estações da Natureza (equinócio de outono). Simboliza o arquétipo do guerreiro, do competidor, do pioneiro que possui iniciativa, coragem, impulsividade e é conectado à sua intuição criativa e a seus instintos básicos como a sobrevivência, por exemplo. Em seu desequilíbrio e desconexão com o macrocosmo, Áries é impaciente, irritadiço, colérico e deflagra conflitos com facilidade. Guerras, batalhas e conflitos em geral também estão embutidos na “potentia” de Marte, o deus da guerra e planeta regente de Áries. Os gregos costumavam orar e dedicar-lhe oferendas pedindo sua força e auxílio para a vitória nas batalhas. Em decorrência disto, as armas e o sangue que banha os campos de batalha são atributos de Áries e de seu regente.

A primeira experiência de Hahnemann que o levou à sistematização da Homeopatia foi com a Chinchona cuja similitude com o arquétipo marciano lhe atribuiu o tratamento de hemorragias, febres, anemia e perda de líquidos em decorrência da sudorese, vômitos, diarréia etc. O temperamento hipocrático bilioso/colérico nos remete às energias primordiais quente e seco que, combinadas entre si, geram o elemento Fogo. Restabelecer o equilíbrio alquímico do corpo (calor, febre – Fogo; líquidos, plasma – Água) significa também tratar sua hipersensibilidade emocional e um ocasional sentimento de rejeição. A vida começa na água e, a perda do ambiente protegido no útero para enfrentar os primeiros agentes invasores e corpos estranhos, pode ter sido sentida como um trauma infantil e a reação, que pode ter origem psicossomática, é a febre e a perda de líquidos.

A hipersensibilidade pode degenerar em irritabilidade, intolerância que, se não identificadas e tratadas apropriadamente com seu semelhante na Natureza ou na Homeopatia, podem deflagrar sintomas que revelam a “sombra” de Áries e de Marte em seu estado mais caótico:


Ele está sujeito a impulsos. Impulsos que serão graves como o da cólera e mais grave ainda, quando se trata de homicídio.” (Dr. Robert Dufilho, Sintomas Mentais).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Plutão em Aquário III – Quadratura com Marte

Orientações para o período

Orientações para o período