Arquivo da tag: lua crescente em capricórnio

Quarto Crescente em Capricórnio : Informativo Templo de Minerva

Informativo Semanal Templo de Minerva

Quarto Crescente em Capricórnio (27/09/17 às 23:53, horário de Brasília)
Período: de 28/9 a 04/10/2017

Sempre comparo as emoções de quem tem o signo lunar em Capricórnio a um bebezinho esquecido sobre uma pedra de mármore fria. Quando a Lua está no signo oposto ao de sua regência, Câncer, o nativo tende a transferir suas carências e medos para o mundo material acumulando bens, valores e galgando a pirâmide do poder. A dificuldade de sentir ou de abrir-se para o mundo sutil e heterogêneo dos sentimentos origina-se, quase sempre, de uma mãe ou um lar onde o foco era a sobrevivência. A preocupação com o sustento e a atenção da mãe voltada quase que exclusivamente para a vida profissional deixa um “vazio” emocional no recém-nascido que deseja proteção, carinho e satisfação de suas necessidades. A preocupação com as crises financeiras e o sustento podem também ser gatilhos para um estado emocional melancólico da mãe que se torna ausente na conexão com o filho nos primeiros meses ou anos entre gestação e criação. Consequentemente, este filho com a Lua em Capricórnio também se torna melancólico e com tendências à depressão. Com a demorada travessia de Plutão em Capricórnio entre 2008 e 2024, é impossível não transmutar estes medos, vazios e depressões. Plutão aprofunda qualquer sentimento e derrete qualquer resistência à construção de uma ponte psíquica do consciente com os recônditos da alma. Resistir a este salto quântico proporcionado pelo deus das profundezas torna a carapaça em torno do coração ainda mais dura e a obsessão pelo sucesso material, mais difícil de sustentar. Continue lendo

Em frente e avante! Mas considere os desvios.

Informativo Semanal de 9 a 15/10/16 : Lua Crescente em Capricórnio (09/10/16 às 01:34, Brasília)
lua-cresc-capri

“Veni, vidi, vici” é a famosa expressão utilizada por Júlio César proclamando seu poder e vitória. Exibe a força que conquista o sucesso, enfrentando obstáculos e ultrapassando desafios com êxito. A fama ou o sucesso eleva o sujeito muitas vezes ao status de celebridade e o transforma em símbolo a ser seguido. Tudo isto pode ser utilizado na descrição do simbolismo arquetípico de Capricórnio. O poder e a glória que todos querem conquistar, e lutam – por vezes literalmente – para chegarem ao topo da montanha. Mas a ganância e a necessidade obsessiva de sempre ser admirado como o bem-sucedido que permanece eternamente no auge contradizem o fluxo contínuo de mudanças do Universo. Tanto o princípio hermético da vibração quanto à propriedade quântica da não localidade demonstram que tudo está sujeito a mudanças. Quanto antes o sujeito compreender estes padrões que estão visíveis na Natureza, menor a possibilidade de ele sofrer com o medo da perda ou com o sentimento de auto-destruição. Especialmente no trânsito de Plutão por Capricórnio (2008 a 2024) ele poderá vivenciar o mito de Sísifo que, após empurrar uma enorme pedra até o topo de uma montanha, a mesma rola para baixo e ele está condenado a repetir este castigo até a eternidade. Agarrar-se obsessivamente ao poder e aos símbolos de status pode transformar-se também em um grande castigo quando não se permite expandir a consciência para fazer novas escolhas a partir de novos valores e paradigmas revelados pelo trânsito de Plutão.

O período deste quarto-crescente lunar é propício para agir e por em prática planos estratégicos para conquistar o topo da montanha. Marte que transita por Carpricórnio é líder absoluto nestas estratégias e planejamentos. Ele traduz o “vine, vidi, vinci” de César e, até o dia 20/10 irá se aproximar de Plutão. Não se entregue a eternidade do sofrimento de Sísifo agarrando-se a padrões empedernidos, pois tudo se transforma. Atente para outras possibilidades, seja flexível, até Sísifo tem que flexionar os joelhos para mover o pedregulho. Considere a felicidade interna a seu self antes de escravizar-se perante o seu ego e o público. Expresse sua vontade com a alma, evite os limites do racionalismo determinista.