Arquivo da tag: espargiria

O Caminho da Arte Alquímica da Integração

Estudo Teórico e Prático da Árvore da Vida

O estudo teórico e prático de cada um dos 22 caminhos da Árvore da Vida tem como princípios evolutivos o auto-conhecimento por meio do processo alquímico. Trata-se do desenvolvimento de uma filosofia sustentada e estruturada por dois pilares: Conhecimento e Prática. O Conhecimento é atingido através do estudo e pesquisa das ciências herméticas e do novo paradigma quântico. A Prática é feita por meio de treinamentos e rituais de concentração, visualização e meditação até o indivíduo atingir o processo alquímico que o aproximará do seu “ouro primordial” (aurum nostrum non est aurum vulgi) que tem por base a filosofia da Era de Aquário, Thelema, inaugurada por Aleister Crowley no seu “Livro da Lei” (Liber Al Vel Legis) adaptada aos novos paradigmas da teoria quântica atual.

As ciências herméticas ou esotéricas devem ser tratadas em conjunto. A Astrologia não está separada do Tarot, nem da Alquimia ou da Magia e todos encontram-se na Árvore da Vida que a tradição judaica chama de Cabala. Continue lendo

Destilação do Eucalipto

Eucalipto (Eucalyptus globulus)

Árvores de eucalipto na minha chácara no Lago Oeste, DF, das quais obtive a matéria prima.

Árvore de grande porte medindo até 60m de altura. É rara a floração e a frutificação desta espécie no Brasil. É originária da Tasmânia e introduzida no sul do Brasil no início do séc. XX. Espécies congêneres da original são cultivadas para obtenção de madeira, celulose, fabricação de papel ou para extração do óleo essencial medicinal.

Recomendações:

As folhas dos ramos adultos, colhidos no verão e secas ao ar, são usadas tanto nas práticas caseiras da medicina popular, como pela indústria farmacêutica para obtenção de tintura e do óleo essencial de onde é separado o eucaliptol, em ambos os casos como anticatarral. Nas práticas caseiras, o chá preparado com 4-6 folhas bem picadas em água fervente na quantidade suficiente para uma xícara das médias, é usado para fazer a inalação dos vapores de água fervente com as folhas e também empregada para o tratamento da gripe, congestão nasal e sinusite. A análise fitoquímica das folhas mostra como principal componente o óleo essencial que tem mais até 80% de 1,8 cineol ou eucaliptol, acompanhado de vários monoterpenos, sesquiterpenos, álcoois, cetonas, aldeídeos e ésteres. Tanto o óleo essencial como o extrato aquoso das folhas são ativos contra Staphylococcus aureos, eficazes no tratamento da laringite. Em uso local, o cineol serve como anestésico suave e antisséptico, sendo recomendado em cosméticos para remover manchas na pele, com vantagem de não causar irritação. Por sua capacidade de ser absorvido pela pele e eliminado pelos pulmões, é usado também em unguentos antigripais.
Continue lendo