Carbo animalis e a energia taurina

Este medicamento homeopático de origem animal foi introduzido pelo próprio Hahnemann calcinando um pedaço grosso de couro de boi entre carvões incandescentes. Após o término da última brasa, o couro é rapidamente prensado entre duas placas de pedra até esfriar para ser triturado e começar o processo de diluição.

Similitudes e Sincronicidades:
A analogia deste medicamento com o signo de Touro não é apenas na substância utilizada. Touro é um signo do elemento Terra que, por sua vez, é composto pelas energias primordiais frio e seco. Estas definições são aristotélicas. Aristóteles identificou no mundo manifesto as polaridades energéticas divididas em quente e frio ou seco e úmido. Entretanto, por ser o signo póstero a Áries cujo início coincide com o equinócio (0º de Áries = equinócio de outono no Hemisfério Sul e de primavera no Hemisfério Norte), representa do estado em que a Natureza se fixa e demonstra em sua totalidade as características primaveris ou outonais. Por isto que Touro é um signo de modalidade fixa, ou seja, voltado à conservação, estabilidade, manutenção da função de personalidade junguiana conhecida como “sensação” por ser do elemento Terra. A função “sensação” engloba o aspecto físico e material prático e tátil onde o prazer e o conforto, incluindo a saúde física, são fundamentais. A “sombra” de Touro é não admitir mudanças ou transformações naturais que podem ser traduzidas como perdas. O apego, teimosia, rigidez acabam sendo manifestações do excesso de preocupação com a sensação ou com os apegos a valores e ao mundo material. A alienação e a negação da existência de outros níveis de manifestação sutis são os principais fatores que acarretam este desequilíbrio.
Lembrando que as energias primordiais que compõem o elemento da Natureza Terra são frio e seco, podemos começar a configurar a personalidade Carbo animalis a partir da secura, desânimo, melancolia, depressão e rigidez por “não poder avançar em um mundo desconhecido”, ou seja, negação a mudanças que evolui em apego ao passado.
Transtorno por perdas de líquidos, lesões, caroços e tumores endurecidos demonstram outra faceta desta personalidade que, sem observar as ondas de possibilidade para mudanças evolutivas, desenvolve o extremo desequilíbrio do arquétipo taurino. Se ao longo destes últimos dois anos de trânsito de Saturno em Escorpião – signo oposto complementar a Touro – sua reação física foi uma destas acima, pode ser que você resistiu cegamente a mudanças profundas necessárias no seu caminho de vida.
O clima frio e seco pode agravar os sintomas, pois relevam as energias primordiais que compõe o elemento Terra e tendem à imobilidade, lentidão e estagnação na resistência inconsciente. Os ciclos de mudança são encarados como ameaças, então a fuga é a nostalgia, pois é um temperamento que precisa se agarrar à segurança física e material, podendo manifestar também avareza e egoísmo.
Se seu estado crônico evoluir até a auto-destruição, como prevê o miasma do luetismo, a insociabilidade, congestões venais, afecções bronquiais e o câncer podem ser sintomas consequentes.
De acordo com Max Heindel, Touro está correlacionado a pescoço, ouvidos, palato, laringe, amígdalas, glândula tireóide, mandíbula inferior, região occipital, cerebelo, atlas, vértebra cervical, cordas vocais, artérias carótidas,veia jugular e a faringe. A tendência da personalidade Carbo animalis em desenvolver tumores na língua e nestas demais regiões do organismo físico.
Outros sintomas que podem ser combatidos e, principalmente, prevenidos com o auxílio do Carbo animalis são tumores nas mamas, útero, estômago e manifestando a cor azulada, o que nos remete ao signo de Câncer cuja analogia com o corpo físico está ligado a estes órgãos acima. Pode-se concluir que estes últimos sintomas são característicos dos temperamentos que, emocionalmente, são mais apegados ao passado e, mediante qualquer perda ou mudança, tornam-se extremamente nostálgicos, saudosos e melancólicos com um sentimento de abandono e estranheza mediante mudanças.
A negação do mundo extra-físico e o apego obsessivo às situações estanques da matéria podem afetar nossos centros energéticos como um todo. Cada centro energético (chakra) conduz a uma glândula principal respectiva e seu funcionamento saudável condiz com a lucidez e o entendimento da existência dos nossos corpos mental, emocional e energético, além do físico. Esta lucidez também está engajada na percepção de que a doença tem origem no desequilíbrio destes corpos de manifestação, portanto, as doenças glandulares como a hipertrofia nada mais são do que interrupções nas conexões entre chakra e glândula principal a partir de uma vivência calcada no determinismo e materialismo.
A resistência ao novo, novas ideias e paradigmas que, mentalmente, acaba por desenvolver confusão unida aos demais sintomas da personalidade Carbo animalis representam o contado de Saturno com Mercúrio conjuntos no signo de Touro.
Be Sociable, Share!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*