Júpiter em Peixes

 

Júpiter e Netuno são regentes do signo de Peixes. O encontro de ambos em seu signo de regência em abril próximo torna o momento muito especial na esfera da espiritualidade e da fé.

Desde abril de 2011, o longo percurso de Netuno no signo de Peixes tentou advertir a Humanidade sobre a importância do silêncio e do recolhimento às profundezas da alma e o encontro com sua própria sombra por meio do sacro-ofício, a fim de reconhecer e se aproximar da Substância sutil que envolve todos nós, Deus ou a Consciência Suprema. Aqueles que compreenderam o caminho netuniano, viveram as crises dos dois últimos anos de forma tranquila, entendendo a sincronicidade dos fatos e ajudando aqueles que entregaram-se ao caos vivenciando o sofrimento de situações fora do próprio controle.

Na “virada” de ano civil, Júpiter começa seu rápido trânsito em Peixes. Rápido pela duração de menos de 6 meses, sendo que Júpiter permanece, em média, um ano em cada signo. Pela brevidade, pela regência e por expandir os assuntos ligados à espiritualidade, à intuição e ao amor divino ou incondicional, é imperioso que, ao longo dos próximos meses, nos dediquemos a esta importante parte de nossa vida, muitas vezes abandonada por causa das urgências do dia a dia, do “fazer” em detrimento do “ser”.

O encontro entre Júpiter que alcançará Netuno na primeira quinzena de abril de 2022, representa um sincretismo que pode aparar arestas tão radicais e intolerantes não só no campo religioso, mas também sociopolítico que vem paulatinamente se transformando em crença. A última conjunção entre estes dois astros foi no começo de 1971 em Sagitário, signo cuja regência também é atributo de Júpiter. Esta conjunção no começo da década de 70 representa o enraizamento da cultura religiosa oriental no ocidente que iniciou-se com a ida do líder religioso indiano Bhaktivedanta Swami Prabhupada para os EUA, onde encontrou severas resistências por parte da comunidade cristã. Nos anos 70, a influência do hinduísmo e das tradições religiosas orientais, apesar das resistências, disseminou-se por todo o ocidente e culminou no show beneficente do ex-beatle e devoto do hinduísmo George Harrison, “Concerto para Bangladesh”. Sagitário é um signo voltado às doutrinas e filosofias religiosas, mas Peixes vai mais além. Portanto, este sincretismo esperado em abril próximo será mais uma sintonia entre das psiques individuais com a psique coletiva. A comunhão entra as consciências humanas, animais e vegetais é esperada na Substância Primordial.

Os mares e oceanos regidos por Netuno surgirão como prioridade no nosso cuidado, pois são os verdadeiros “pulmões” da Terra e ocupam cerca de 70% do globo terrestre. Sua importância deverá ser ressaltada e, seus recursos e habitantes, mais valorizados.

Os trânsitos de ambos os astros e sua conjunção em Peixes revelam aquilo que existe de mais sutil, subjetivo e, quase, não manifesto no mundo material. No Tarot de Crowley, Netuno rege o arcano maior O Pendurado, que representa a profunda abnegação e estado meditativo do iogue que alcança a iluminação, mesmo sob os sacrifícios exigidos pelas dimensões tempo e espaço. Por sua vez, Júpiter em Peixes é a combinação escolhida por Crowley na regência do arcano menor 9 de Copas. Este arcano está inserido na esfera 9 da Árvore da Vida (Yesod), onde estão inseridas todas as primeiras manifestações expansivas da conexão com o plano astral.

A afinidade de Júpiter com o arquétipo da espiritualidade e da fé pode despertar e expandir nossa consciência das mais diferentes formas durante sua jornada por Peixes, desenvolvendo um temperamento híbrido entre otimismo e circunspecção.

Vamos às influências deste ciclo sobre os astros pessoais (Lua, Sol, Mercúrio, Vênus, Marte), ascendente e meio-do-céu. Lembrando que, os signos não mencionados não terão influência direta. Não se esqueçam que, mesmo tendo o Sol em um signo, os outros astros pessoais podem estar em signos diferentes!

. Touro, Câncer, Escorpião, Capricórnio e Peixes: O trânsito de Júpiter em Peixes poderá beneficiar e expandir as possibilidades para aqueles que tiverem algum astro pessoal nestes signos. No entanto, é necessário observar e ler nas “entrelinhas”, estar perceptivo às sincronicidades. O silêncio da mente e a autoconfiança são fundamentais para aproveitar o fluxo sutil de oportunidades a princípio, que pode se manifestar ou se concretizar de acordo com a intuição desperta do indivíduo.

. Gêmeos, Virgem e Sagitário : O estado de alerta dos astros pessoais nestes signos deve alcançar o máximo de discernimento a fim de evitar confusões, compulsões, vícios e escapismos devido aos aspectos tensos entre signos de modalidade Mutável.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Plutão em Aquário III – Quadratura com Marte

Plutão em Aquário Parte II – Breve Estadia em 2023 - História

Trânsito de Saturno em Peixes